Provavelmente você conhece alguém ou até mesmo sofre da Síndrome Do Impostor e não faz a menor ideia disso.

Alguma vez você apesar de toda competência e empenho, sentiu que não consegue se reconhecer? Está sempre sendo humilde enquanto outros te elogiam “demais”?

Se sua resposta nessas situações são algo como “sorte”, “destino”, “superestimado”, ao contrário do que muitos pensam, seu problema não é falsa modéstia!

Então, para saber mais sobre essa síndrome e como combatê-la, continue lendo este artigo!

O Que É Síndrome Do Impostor?

Caracterizada como uma desordem psicológica, a Síndrome do Impostor afeta diversas pessoas de sucesso e competentes em sua carreira profissional.

Desse modo, ela é traduzida pela incapacidade de reconhecimento pessoal. Ou seja, quem sofre desse mal não consegue reconhecer:

  • Esforços pessoais;
  • Suas capacidades.

Logo, ela comumente atribui tudo que conquista a coisas como sorte ou até mesmo, auxílio de pessoas – o que muitos casos não têm nenhuma base.

Normalmente, essas pessoas acabam sofrendo com baixa autoestima e problemas de insegurança. Para terceiros, pode vir a passar a imagem de falsa modéstia.

Além disso, é muito normal que a pessoa seja perfeccionista, viva apreensiva, ansiosa e tenha certo complexo de inferioridade.

Com isso, ela vive com o medo de ser “exposta” como a farsa que acredita ser. O que faz com que ela acredite que isso “virá à tona” a qualquer momento.

Sinais Da Síndrome Do Impostor e Como Superá-la

Existem algumas características comuns as pessoas que sofrem com a Síndrome do Impostor, abaixo irei abordar 5 delas.

  • Medo da exposição: uma constante sensação de que será “descoberto” como uma fraude, sendo julgado por terceiros. Assim, você vive de forma discreta, evita se expor, não compartilhe sentimentos e sofre calado, pois, sente medo de concordarem com aquilo que sente.
  • Autodepreciação: além de uma grande cobrança, você se critica muitos pelos erros e falhas. Comumente, vive para agradar terceiros, acreditando que não merece o sucesso ou que são boas o bastante.
  • Autossabotagem: a pessoa que sofre desse mal, acredita que o fracasso é inevitável e que isso vai atingi-lo em algum ponto. Com isso, ele leva uma vida de ansiedade e tem atitudes que minam suas conquistas.
  • Excesso de esforço: além disso, ele passa da dedicação à obsessão naquilo que faz. Na busca de obter resultados e conseguir justificar o seu sucesso, para que ninguém “perceba” e duvide de suas competências.
  • Procrastinação: assim elas ainda adiam compromissos e tarefas, já que seu perfeccionismo lhes enche de medo. Logo, elas evitam que o resultado a ser obtido seja ruim e alvo de críticas alheias.

O primeiro passo para se livrar da Síndrome do Impostor é reconhecendo a existência desse mal através do aconselhamento psicológico.

Desse modo, você deve cuidar do seu autoconhecimento para identificar suas crenças limitantes. Com isso, você consegue atingir a autoconfiança aos poucos!

Conclusão

Em resumo, a Síndrome do Impostor é um mal no qual você não consegue acreditar em suas próprias capacidades profissionais, não se reconhecendo.

Mas, com um bom aconselhamento médico é possível tratar esse problema. Pois, você irá conhecer mais de si, seus pontos fortes e fracos, defeitos e qualidade, competências e limitações.

Assim sendo possível buscar um aperfeiçoamento, para se torna uma pessoa segura e com autoestima!

O que você achou deste artigo? Conte para nós nos comentários e compartilhe!